Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 9 de setembro de 2016

    ELEIÇÕES 2016| TSE vê irregularidade em doações, mas candidatos da Capital cumprem lei

    Reprodução

    Dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) apontam indícios de irregularidades em doações que somam R$ 266 milhões. As verbas mais expressivas em suspeita foram dadas por pessoas com indícios de falta de capacidade econômica.

    Campo Grande, por enquanto, não se encaixa nos exemplos citados pelo Tribunal Superior Eleitoral. Janete Morais dos Santos, filiada do PT do B, doou R$ 405 mil para a campanha de Rose Modesto (PSDB). O valor corresponde a 46.98% dos R$ 930.663,66, arrecadados pela campanha de Rose até sexta-feira (9).

    Em 2012, Janete Morais foi candidata a vice-governadora na chapa liderada por Nelsinho Trad (PTB), irmão de Marquinhos. Na ocasião, a pastora Janete declarou bens de R$ 2.721.395,68 à Justiça Eleitoral.

    Sem citar os autores da doação e nem para quem se destinava, o TSE identificou doações em que houve cessão temporária de veículos por doador que não é proprietário do veículo. Ou, um beneficiário do Bolsa Família que deu R$ 67 mil para uma campanha. Indícios de irregularidade envolvem 4,6 mil pessoas. As informações são do jornal Estadão.

    O grupo de trabalho também identificou uma produtora de filme com apenas dois funcionários que foi contratada por R$ 100 mil. O caso se enquadra em uma situação de empresas com indícios de falta de capacidade. Ao todo, foram encontrados 241 casos desse tipo, que representam um valor de R$ 2 milhões do total de R$ 266 milhões sob suspeita de irregularidade.

    Prestação de contas 

    Os candidatos têm, a partir de hoje, de enviar à Justiça Eleitoral o relatório discriminado das transferências do Fundo Partidário, dos recursos em dinheiro e das previsões em dinheiro que tenham recebido para financiamento de sua campanha eleitoral e dos gastos realizados.

    Os que tentam ocupar o cargo de prefeito de Campo Grande já registram, além das doações, as despesas pagas.

    Rose Modesto declarou R$ 230.065,73 de despesas quitadas; Alcides Bernal (PP) não aponta as despesas pagas; Adalton Garcia (PRTB) recebeu R$ 1 mil de doação e não apontou gastos. Alex do PT declarou R$ 5 mil de doação e não apontou despesas pagas.

    José Flávio Arce (PCO), Elizeu Amarilha (PSDC), Rosana dos Santos (PSOL), Lauro Davi (PROS), Marcos Trad (PSD) e Aroldo Figueiró (PTN) não informou nenhuma doação até o momento. Athayde Nery (PPS) informou R$ 72,4 mil de recursos recebidos e R$ 54 mil em pagamentos. Candidato do PSC, Carlos Alberto David dos Santos, declarou total de R$ 82,5 mil em verbas recebidas e R$ 45,9 mil em despesas pagas.

    Do PV, Marcelo Bluma informou R$ 111 mil de recursos que recebeu e R$ 18 mil de despesas quitadas. Pedro Pedrossian (PMB) R$ 11,2 mil recebidos e R$ 5 mil de despesas contratadas. Candidato do PSTU, Suél Ferranti tem R$ 950 de verbas doadas e R$ 103,04.



    Fonte: campograndenews
    Por: Mayara Bueno
    Link original: http://www.campograndenews.com.br/politica/tse-ve-irregularidade-em-doacoes-mas-candidatos-da-capital-cumprem-lei

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS