Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 21 de setembro de 2016

    Dia da Árvore tem curso sobre plantio com dia de campo na APA do Guariroba

    Divulgação

    Conhecimento colocado em prática. Foi assim a comemoração do Dia da Árvore, 21 de setembro, para produtores rurais da APA (Área de Proteção Ambiental) do Guariroba e estudantes de biologia da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Em parceria com o programa Água Brasil, a Águas Guariroba promoveu um curso sobre técnicas de cultivo, plantio e manutenção de árvores nativas do cerrado. O curso aconteceu no viveiro da concessionária, mantido na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Los Angeles. De tarde, a atividade foi realizada em campo, na área do manancial.

    “Nós estamos comemorando o Dia da Árvore de uma maneira diferente, capacitando acadêmicos, produtores rurais e os gerentes de fazenda da APA do Guariroba. Acreditamos que capacitando essas pessoas, as árvores que eles plantam e os projetos de recuperação que eles estão fazendo lá tem chances de se desenvolver melhor”, destacou Fernando Henrique Garayo, coordenador de Meio Ambiente da Águas Guariroba. A empresa mantém uma parceria com produtores rurais na doação de mudas cultivadas no viveiro para serem plantadas nas fazendas, com o objetivo de preservar as áreas de manancial.
    Divulgação

    Para a analista de conservação da WWF Brasil, Flávia Accetturi Szukala Araújo, representante do programa Água Brasil, o curso contribui para que eles entendam melhor cada passo realizado no cultivo das sementes até que elas cheguem ao estágio de mudas para o cultivo nas propriedades. “Geralmente, os produtores pegam as mudas apenas do campo para o desenvolvimento. Conhecendo melhor, eles valorizam ainda mais. É importante que eles conheçam esse histórico, a muda saiu de uma semente planejada, cultivada há um ano atrás até chegar a ele no campo”, lembra. O Programa Água Brasil é uma iniciativa do Banco do Brasil com a organização ambientalista WWF Brasil, a Agência Nacional de Águas (ANA) e a Fundação Banco do Brasil pela conservação da água.
    Divulgação

    A parte teórica do curso ficou a cargo do engenheiro agrônomo Rogério Fontes Pereira. “Mostramos desde a confecção do substrato com terra, adubo orgânico e palha de arroz, depois mostramos como é a parte de germinação, o enchimento dos saquinhos e o transplante das sementes já germinadas da sementeira para o saquinho onde ela fica a ponto de doação”, destacou Rogério, que guiou os participantes pelo viveiro da ETE Los Angeles.

    Proprietário da Fazenda Flora, Nilson Teodoro de Faria, reforçou a importância do curso como oportunidade de troca de informação. “O conhecimento, quando vem, geralmente é fragmentado. Então a gente tem que buscar conhecimentos para integrar esses fragmentos que temos de informação, principalmente quando tem um aprofundamento técnico-científico que não é de domínio geral”, avaliou.

    Atividade de campo

    Depois do conhecimento teórico, chegou a hora de ver na prática algumas ações de plantio e conservação já adotadas na APA do Guariroba. O gerente responsável pela manutenção da fazenda Velho Saltinho, Adriano Melo, demonstrou as práticas de recuperação da propriedade onde trabalha. “Eu achei o evento hoje muito importante para todo mundo que participou. Eu acredito que todo mundo tem que incentivar, preservar e ajudar. Vale muito apena”. 

    Jucelino Souza Ribeiro, que trabalha na fazenda Meia Lua, gostou de conhecer as experiências em outras propriedades e reforçou a importância da troca de conhecimentos em prol da preservação. “Tem que ser assim para melhor: a gente sabe um pouco, a gente ensina e a gente começa a aprender. É fazendo um grupo que uns ensinam os outros para as coisas andarem”, afirma. “Fazendo esse trabalho você vai evitar as erosões, vai nascer mais minas d’água”, destaca.



    Fonte: ASSECOM

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS