Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 22 de agosto de 2016

    Palestra na Capital discute a evolução da produtividade feminina

    Empreendedor Christian Barbosa ministra a apresentação ?Você, Dona do Seu tempo? no dia 5 de setembro


    No próximo dia 5 de setembro, às 19 horas, acontece em Campo Grande a palestra “Você, Dona do Seu tempo”, com o empreendedor Christian Barbosa, considerado pela Revista Você S/A e pelo Zero Hora o “Senhor do Tempo”. A ação faz parte do projeto Mulher de Negócios – Empreendedorismo Feminino em pauta, no qual o Sebrae promove atividades voltadas a mulheres empreendedoras.

    A palestra é baseada no livro Você, Dona do Seu Tempo, escrito pelo palestrante, e fará uma análise da evolução da produtividade feminina e os desafios que as mulheres enfrentam para organizar e balancear sua vida pessoal e profissional. 

    Além disso, a apresentação exibirá os resultados de uma pesquisa realizada com mais de 4 mil mulheres para gerar novas soluções para as questões enfrentadas pela mulher multitarefa do século XXI. Serão abordadas estratégias de planejamento e estatísticas sobre a gestão de tempo feminina.


    O evento é gratuito e ocorrerá no auditório do Sebrae da Capital, localizado na Avenida Mato Grosso, 1661, Centro.

    Mulheres empreendedoras

    Segundo dados do Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras das Micro e Pequenas Empresas, desenvolvido pelo Sebrae e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), em 11 anos, o número de mulheres donas do próprio negócio no Brasil aumentou de 6,3 para mais de 7 milhões. De acordo com o Banco Mundial, cerca de 30% de todos os empreendimentos privados do mundo são operados por mulheres e a estimativa é que esse número suba para 75% até 2028.

    Ainda assim, as mulheres enfrentam uma série de barreiras e obstáculos econômicos e principalmente sociais quando se trata de empreendedorismo. Dados da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) de 2015 mostram que, comparado aos homens, as mulheres empreendedoras são mais escolarizadas e, mesmo assim, ganham menos: apenas 49% dos homens recebem até 3 salários mínimos, contra 69% das mulheres. Além disso, as mulheres também trabalham com produtos mais dependentes do mercado interno, com empresas de faturamento menor e poucos empregados.

    Esse cenário expõe uma realidade muito presente na sociedade brasileira: ainda é mais difícil e complicado para mulheres se tornarem empreendedoras do que para homens. Por isso, a instituição de apoio aos pequenos negócios julga importante trabalhar para diminuir essas dificuldades e disparidades, por meio de ações que coloquem o debate em pauta e estimulem a parcela feminina da população a participar do mundo dos negócios.



    Fonte: ASSECOM

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS