Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 18 de agosto de 2016

    Pacto de segurança quer garantir verba para MS e mais oito estados

    Secretários discutem diretrizes do pacto a ser assinado nesta sexta-feira (Foto: Alcides Neto)

    A assinatura do Pacto Interestadual de Segurança Pública entre governadores de Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Rondônia, Tocantins, Minas Gerais, Maranhão e Bahia e o ministro da Justiça, vai oficializar a integração de ações entre estes estados e também a busca de verba específica para estes estados atuarem nesta seara.

    Atualmente, existe o Fundo Nacional de Segurança Pública, entretanto, ele é destinado para todo o país. Com a criação do fundo, a intenção também é a de conseguir repasses federais compulsórios para atender este pacto, reforçando assim as ações de segurança nos estados integrantes.

    "Buscamos trazer apoio do governo federal para ajudar com as fronteiras desguarnecidas. O Estado sozinho não tem condições de administrar tudo", frisa o secretário estadual de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, José Carlos Barbosa, um dos participantes da Câmara que fecha detalhe sobre o pacto.

    O foco de atuação da segurança integrada serão os roubos e furtos a bancos - conhecidos como o "Novo Cangaço", pois quadrilhas formadas em outros estados migram para o estado alvo dos crimes -, tráfico de drogas, roubo a cargas e também homicídios realizados nestes estados, inclusive na região de fronteira.

    "Realmente existe a necessidade de intensificar ações de segurança na fronteira. Uma quadrilha que atua em vários estados, por exemplo, tendo essas informações unificadas, o trabalho pode ser agilizado e ser mais eficaz", comenta o secretário estadual de Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, José Carlos Barbosa.
    Secretários de Segurança de Goiás (José Eliton) e de Mato Grosso do Sul (José Carlos Barbosa) no primeiro dia de debate (Foto: Alcides Neto)


    Assinatura 

    A assinatura será realizada nesta sexta-feira (19) entre os governadores do Fórum Brasil Central e o ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre Moraes, em Bonito, que sedia o evento este mês. Com a participação do ministério, os estados visam garantir recursos financeiros e também políticos e diplomáticos.

    Como ainda não há destinação de recursos específicos para os estados que vão assinar o pacto, as ações integradas entre estas unidades da federação ocorre com recursos próprios estaduais.

    O pacto já vem sendo discutindo há algum tempo e, sendo criado em Brasília (DF) o Comitê Nacional de Inteligência para definir as estratégias para combater o crime organizado. A intenção é, no futuro, criar uma mecanismo único que defina estratégias de segurança pública todos os estados.

    As discussões a cerca desta unificação no Fórum Brasil Central começam hoje (18) com o encontro dos secretários de segurança pública dos nove estados representados em Bonito na Câmara de Segurança Pública.

    "Hoje o pacto começou a ser implantado e tem que se perpetuar", destaca a secretária de Segurança do Distrito Federal, Márcia Alencar, que também é vice-presidente do pacto e frisa a importância de conseguir um repasse federal fixo.



    Fonte: campograndenews
    por: Nyelder Rodrigues e Ricardo Campos Jr., de Bonito
    Link original: http://www.campograndenews.com.br/cidades/pacto-de-seguranca-quer-garantir-verba-para-ms-e-mais-oito-estados

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS