Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 11 de agosto de 2016

    Motorista descobre que atropelou e matou criança de 2 anos e passa mal

    Ele não sabia de acidente e foi internado ao ser informado pela polícia 

    Imagens de uma local próximo ao acidente flagraram a passagem da caminhonete (Foto: Gerciane Alves)

    Policiais da Segunda Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande localizaram na manhã desta quarta-feira (10) o motorista suspeito de ter atropelado e matado no dia 8 e julho deste ano Raíssa Gabriela de Oliveira, de 2 anos e meio, no Bairro Nova Lima. O homem, de 32 anos, passou mal ao ser abordado pelos policiais e está internado. Ele disse que não sabia do acidente.

    Um pouco mais de um mês depois da morte de Raíssa os policiais localizam nesta manhã o motorista, que não teve o nome revelado. O delegado Weber Luciano de Medeiros, titular da 2ª DP e responsável pelo caso, contou que não foi fácil localizar o veículo porque o condutor permanece muito mais tempo em uma fazenda onde trabalha no município de Bandeirantes, a 68 quilômetros de Campo Grande, do que na Capital.
    Delegado falou da dificuldade de localizar o motorista (Foto: Gerciane Alves)

    Ele explica que em posse das imagens da câmera de segurança que flagrou o momento do atropelamento, a polícia conseguiu primeiramente identificar o modelo, cor e ano da caminhonete. Depois disso foi solicitado ao Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito) informações de veículos que se encaixavam nessas características.

    Através das imagens do atropelamento e outras da passagem da caminhonete minutos depois em uma rua próxima ao local o delegado conta que foi possível identificar peculiaridades no veículo como alguns adesivos na parte de trás da carroceria e o carregamento de madeira. “Tinham características que eram só dela”, conta o delegado.

    Vários veículos parecidos foram abordados durante este mês de investigação, mas somente nesta manhã a possível caminhonete envolvida foi localizada. Ao ser abordado pelos policiais o condutor estava com sua filha pequena e passou mal ao ser informado que estaria envolvido no atropelamento de Raíssa.

    “Na hora que os investigadores falaram ele olhou para a filha que aparenta ter a mesma idade da menina atropelada e desabou”, disse o delegado. O homem precisou ser encaminhado para uma unidade de saúde que não foi revelada e está internado. O motorista só foi localizado nesta manhã, um mês depois do fato, porque está trabalhando com o transporte de postes de eucalipto para uma fazenda em Bandeirantes. O veículo estava carregado nesta manhã o que facilitou a identificação.

    A caminhonete foi apreendida e serão feitas comparações com as imagens. Mesmo sem o laudo comparativo, que levará 10 dias para ficar pronto, o delegado conta que não tem dúvidas que a caminhonete encontrada esta manhã é a mesma das imagens. Mas após análises das imagens ele também concluiu que o motorista não teve a intenção de atropelar a criança porque nem a viu.

    “Ele não viu que passou por cima dela. A caminhonete não estava em alta velocidade, mas estava pesada. Podemos perceber que antes, durante e depois do atropelamento ele mantém o veículo na mesma velocidade. Não acredito que o fato se encaixe nem em homicídio doloso, nem culposo”, conta o delegado que explica que para ser doloso precisa haver a intenção de matar. Já para se encaixar no culposo tem que haver negligência, imprudência ou imperícia no fato.

    Relembre o caso

    Raíssa era a mais nova dos três filhos de Juliana Maria de Oliveira, de 27 anos, que na tarde do acidente deixou as crianças com o avô para poder ir trabalhar. Os irmãos brincavam em frente à residência localizada Avenida Cândido Garcia de Lima, quando o avô entrou para fazer uma mamadeira.

    A partir daí, toda a cena foi gravada pela câmera de segurança de um comércio da região. A menina atravessa a rua correndo é atingida por um veículo, aparentemente uma F350 com carroceria de madeira, que está em baixa velocidade. O condutor passa em cima da criança e vai embora.

    Juliana contou que depois que foi atingida pelo veículo, Raíssa caiu de bruço e a roda traseira da caminhonete passou por cima, na altura do abdômen da menina. O irmão de 9 anos foi quem viu o acidente, pegou a criança no colo e a tirou da rua. Foi ele também, segundo a mãe, que chamou os adultos que socorreram Raíssa.

    Raíssa deu entrada às 12h45 na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Bairro Coronel Antonino e por volta das 14h20 morreu por conta de uma hemorragia interna.



    Fonte: Midiamax
    Por: Gerciane Alves
    Link original: http://www.midiamax.com.br/policia/motorista-descobre-atropelou-matou-crianca-2-anos-passa-mal-311275

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS