Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 19 de agosto de 2016

    Guerreiro é contra cobrança injusta de estacionamento da Área Azul de Três Lagoas implantado pela Prefeitura Municipal

    deputado estadual Ângelo Guerreiro (PSDB) - Divulgação

    “Sou contra a forma de cobrança que foi implantada pela Prefeitura de Três Lagoas do estacionamento de veículos nas vias públicas da Cidade”. Essa foi a afirmação do deputado estadual Ângelo Guerreiro (PSDB), candidato a prefeito do município, ao ser questionado sobre os problemas ligados ao trânsito. O parquímetro passou a ser cobrado em agosto deste ano e vem revoltando motoristas e motociclistas.

    Na maioria das cidades brasileiras, como é o caso de Campo Grande, os motoristas pagam pelo estacionamento conforme o horário que ficam. Na Capital, o motorista compra um chaveirinho magnético e paga R$ 2,00 por um crédito de 60 minutos. Ou seja, se ele ficar apenas 15 minutos estacionados, ainda vão restar a ele 45 minutos para serem usados em outras vias e dias, sem data de vencimento.

    Já em Três Lagoas a cobrança é feita utilizando talões de papel afixados no para-brisas dos carros e suportes das motos. Cada vez que o veículo é estacionado nas vias centrais, é cobrado 1,60 (carros) e R$ 0,60 (motos) por uma hora de estacionamento. Essa é a única opção que existe, ou seja, se o cidadão ficar apenas 5 minutos, não tem como ele pagar um preço diferenciado. Desta forma, a Central Park vem arrecadando valores muito maiores que não correspondem ao tempo que as pessoas ficam estacionados. Já em Campo Grande, de acordo com o sistema implantado em forma de parquímetro, caso o motorista fique apenas 15 minutos no estacionamento, ele gasta apenas 50 centavos.

    “Isso é uma cobrança injusta, um abuso no bolso do consumidor. A administração municipal, ao elaborar o processo licitatório, teria que ter feito exigência de um sistema automatizando e justo. Não sou contra a cobrança, mas ela tem que ser cobrada de acordo com o tempo que o veículo estiver estacionado``, explicou Guerreiro. No total, a chamada "zona azul" tem 2 mil vagas e conta com 18 monitores. Ficou definido que 27% de toda arrecadação será repassada à prefeitura.

    O candidato a prefeito de Três Lagoas também questionou o fato de não haver tempo mínimo de tolerância de 15 minutos. O diretor da empresa Central Park, Nilson Lopes, em coletiva à imprensa, fez questão de ressaltar que não ocorrerá tolerância por parte dos monitores, que estão orientados a aplicar uma multa administrativa referente a 5 horas de estacionamento (R$ 8 para carro e R$ 3 para moto), cujos condutores terão prazo de 5 dias para efetuar o pagamento. Caso não efetue a regularização, os infratores receberão numa multa de R$ 127,69 e perderão 5 pontos na Carteira de Habilitação.




    Fonte: ASSECOM

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS