Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 9 de agosto de 2016

    DOURADOS| Município já vacinou 20.044 cães e gatos

    Conforme a programação desta semana na zona urbana, a vacinação será realizada no Jardim Vista Alegre, no Jardim Rasselen e no Jardim Água Boa. Na zuna rural a equipe de vacinação estará em Indápolis e Vila Vargas - Foto: A Frota

    A campanha de vacinação antirrábica continua sendo realizada em Dourados. Foram vacinados até o momento 20.044 animais, sendo 16.168 cães e 3.876 gatos. Esta é uma campanha mais prolongada, que começou no dia 7 de junho, mas que está sendo realizada de forma itinerante, ou seja, os agentes do CCZ (Centro de Controle de Zoonozes) passam de casa em casa para fazer a imunização dos animais. Está previsto vacinar 53 mil animais na zona urbana e rural.

    “Nas campanhas passadas tínhamos pontos fixos para as pessoas levarem seus animais, mas muitos moradores perdiam de levar, mas desta vez estamos passando de casa em casa para atingir maior número de animais vacinados”, comentou a coordenadora do CCZ, Rosana Alexandre da Silva.

    As visitas nas casas são realizadas das 7h às 17h e conforme a programação desta semana na zona urbana, a vacinação será nesta segunda (8) e terça-feira (9) no Jardim Vista Alegre. Na quarta (10) e quinta-feira (11) será no Jardim Rasselen; na sexta-feira (12) será no Jardim Água Boa.

    No sábado (13), o ponto fixo será na Escola Vilmar Vieira de Matos, no Jardim Rasselen, das 7h30 às 17h. 

    Zona Rural

    Na zona rural a vacinação será das 7h30 às 16h, quando os agentes do CCZ vão passar pelas propriedades. Nesta segunda e terça-feira os agentes estarão no distrito de Indápolis, na região do Guanandi. Já na quarta, quinta e sexta-feira a vacinação será em Indápolis até o distrito de Vila Vargas. 

    Devem tomar as doses, cães e gatos acima de quatro meses de vida, incluindo fêmeas prenhas ou amamentando, já que não há contraindicação. A vacina é totalmente gratuita e deve ser aplicada somente pelos agentes do CCZ.




    Fonte: ASSECOM

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS