Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 24 de agosto de 2016

    Combativo na Assembleia, Marquinhos enfrentou até governador para reduzir imposto

    Candidato do PSD à Prefeitura de Campo Grande, Marquinhos Trad - Divulgação/ALMS

    Candidato do PSD à Prefeitura de Campo Grande, Marquinhos Trad está no terceiro mandato como deputado estadual e tem como marca a luta pela aprovação de projetos, que o levaram, muitas vezes, a enfrentar até o governador, ainda que fosse do mesmo partido dele.

    O jeito combativo lhe custou a fama de rebelde, mas Marquinhos nunca se importou com isso. Pelo contrário, sempre lhe fez pensar que estava no caminho certo.

    “Ninguém tolera mais aquela política de antigamente. Sempre rebati isso. Nesses meus 21 anos de vida pública, mesmo quando era secretário de Assuntos Fundiários, a ponto até de o ex-prefeito extinguir minha secretaria porque não tolerava certas coisas. Virei vereador, depois deputado, chamado de rebelde dentro do partido, patinho feio. Mas, sempre mostrei para eles que um dia o tempo ia passar e espero em Deus que o tempo comece agora”, recordou.

    Um exemplo claro do abandono a laços políticos para defender a população é o aumento do desconto e parcelamento do IPVA (Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores). A proposta de Marquinhos aumentou de 10% para 15% o desconto de quem pagar o IPVA à vista, permitiu que o parcelamento máximo passasse de três para cinco vezes e autorizou parcelamento de dividas de anos anteriores em até 10 vezes.

    A proposta foi aprovada na Assembleia, mas rejeitada pelo governador à época. Marquinhos não se importou com o fato de o chefe do Executivo ser do mesmo partido dele e levou o assunto muitas vezes ao plenário do Legislativo. Em 2014, o governador vetou, mas Marquinhos convenceu os deputados da importância do projeto, que depois foi aprovado e começou a vigorar em 2015.

    A independência de Marquinhos, sendo mais combativo do que a própria oposição, em muitas ocasiões, lhe custou o veto a cargos importantes, mas a garantia de consciência tranquila no mandato.

    O deputado conquistou antipatia de governador nas muitas ocasiões em que foi a favor do trabalhador. Ao votar contra o boicote a melhorias a servidores, em determinada ocasião, justificou o voto, dizendo que não teria como chegar em casa, olhar para as filhas e dizer que votou contra uma vida melhor para um pai de família.

    O mandato de Marquinhos também ficou marcado pela atuação firme frente até a grandes empresas. Um exemplo a ser destacado é a atuação dele como relator da CPI da Enersul. Em sete anos, o kilowatts caiu 17,63% em Mato Grosso do Sul. Desde a CPI o deputado, acompanha todos os passos da empresa para evitar abusos.

    “A energia é um insumo essencial na vida de toda a população, por isso, a fiscalização dos processos de reajuste é imprescindível e o resultado do trabalho mostra que o monitoramento, feito com responsabilidade e competência técnica, vale a pena”, destacou Marquinhos.

    Ciente de que não teria vida fácil dentro do partido antigo, Marquinhos mudou para o PSD, onde garantiu sua candidatura a prefeito de Campo Grande, após sete anos como secretário, dois como vereador e três mandatos seguidos na Assembleia Legislativa, sendo sempre o mais votado na Capital. Na última eleição, em 2014, foi campeão de votos em Campo Grande e em todo Mato Grosso do Sul.




    Fonte: ASSECOM

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS