Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 7 de julho de 2016

    Sanesul reduz em 34,5% as perdas de água tratada no bairro Canaã I, em Dourados

    Os funcionários da Sanesul visitaram todas as casas para verificar se existiam vazamentos, irregularidades nos hidrômetros, nos registros, ligações fora de padrão, para fazer o nivelamento de cavalete, entre outras verificações 

    Funcionário verifica hidrômetro

    Com o objetivo de reduzir as perdas de água tratada em Dourados, a Sanesul realizou, entre a segunda quinzena de maio e o mês de junho, intenso trabalho de busca de vazamentos e irregularidades nas ligações de água no bairro Canaã I. Em cerca de 40 dias, houve queda de 34,5% no índice de perdas, reduzindo de 649 para 425 litros de água por ligação ao dia. A ação envolveu cerca de 20 funcionários da Gerência Comercial (GECO), Gerência de Sistemas de Abastecimento de Água (GESAA) e Gerência Regional de Dourados.

    De acordo com o gerente regional de Dourados, Paulo Roberto Nepomuceno, o bairro Canaã I foi escolhido para o início das ações por ser o distrito de medição com um dos maiores índices de perdas de água na cidade. Os funcionários da Sanesul visitaram todas as casas para verificar se existiam vazamentos, irregularidades nos hidrômetros, nos registros, ligações fora de padrão, para fazer o nivelamento de cavalete, entre outras verificações.

    A redução das perdas de água tratada é uma das diretrizes da Sanesul, que consta no Plano de Metas da Empresa estipulado junto ao Governo do Estado. A ação em Dourados, por ser o maior sistema em que a Sanesul opera, visa atingir resultados que impactarão sobre o índice de perdas da Empresa como um todo.

    “O resultado deste trabalho permite-nos refletir sobre a importância e a necessidade do programa de redução e controle de perdas da empresa. Por outro lado, demonstra claramente que é possível desenvolver ações técnicas com equipes multidisciplinares e executar serviços dentro dos padrões acordados com o cidadão-usuário, de acordo com a legislação vigente, as normas e procedimentos, bem como, atender a s orientações do diretor-presidente Luiz Rocha, para atingir objetivos da meta acordada entre a Diretoria Colegiada e o Governo de Mato Grosso do Sul”, afirmou o gerente comercial da Sanesul, Onofre Assis Souza.

    Ao todo, foram executadas 1.392 pesquisas de situação de ligação e, a partir das pesquisas foram feitas 206 padronizações e 82 consertos de cavaletes, 151 substituições de registros, 387 trocas de hidrômetros, 70 reparos de vazamentos em ramais e 22 reparos de vazamentos na rede de abastecimento, além de 57 notificações por fraude.

    Também foi instalada em Dourados válvula redutora de pressão para diminuir o número de vazamentos e, no caso da existência de vazamentos, reduzir o volume de água perdido.
    Equipe multidisciplinar contou com cerca de 20 funcionários

    Com isso, a expectativa é que as perdas diminuam ainda mais até o final deste mês.

    “A ação foi um sucesso. Com trabalho em conjunto e empenho das equipes pudemos ver que é possível combater as perdas e melhorar a eficiência da operação nos sistemas”, comemorou o gerente de Sistemas de Abastecimento de Água, Elthon Santos Teixeira.

    “O esforço de todos em busca de bons resultados foi fundamental. Parabenizo as pessoas que atuaram neste trabalho, e que com coragem enfrentaram mais esse desafio”, completou o gerente Paulo Nepomuceno.

    A próxima etapa é realizar o mesmo trabalho no bairro Parque das Nações, que possui mais de três mil ligações. 

    Perdas de água

    Sistemas de abastecimento apresentam perdas, ao longo dos quilômetros pelos quais se estendem as redes de água, que acontecem por vazamentos ou extravasamentos nas unidades operacionais do sistema (perdas reais), ou quando a água que é distribuída para os usuários não é contabilizada, devido a submedição e fraudes (perdas aparentes).

    A redução de perdas mais significativas, além de evitar desperdício de água tratada, contribui para outros investimentos, como expansão do atendimento em água potável e esgotamento sanitário, garantindo saúde, desenvolvimento socioeconômico e evitando danos ao meio ambiente.



    Fonte: ASSECOM
    Por: Larissa Almeida

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS