Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 20 de julho de 2016

    Maia diz que descontará salário de deputado que faltar a sessões

    Objetivo é manter quórum alto para votar projetos de interesse do governo. Em agosto, presidente da Câmara quer votações de segunda a quarta-feira.

    presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) - Reprodução/Vídeo

    Em ano de eleição municipal e de Olimpíada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira (20) que descontará o salário de deputados que faltarem, sem justificativa, às sessões de votação no plenário da Casa.

    Maia quer garantir quórum para votar matérias de interesse do Palácio do Planalto, como o pacote de medidas econômicas, e também colocar em pauta o processo de cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

    “É óbvio [que serão descontadas as faltas]. Pauta marcada o deputado tem que estar presente, em qualquer trabalho é assim. Se você marcou uma data para que os deputados estejam aqui para votar, é importante que todos votem”, declarou o presidente da Câmara ao chegar ao prédio do Legislativo nesta quarta.

    Rodrigo Maia também voltou a dizer que, no retorno das atividades da Casa em agosto, montará um esquema especial de trabalho para garantir o funcionamento da Câmara até as eleições municipais, marcadas para o mês de outubro.

    Na noite desta terça (19), ele já havia anunciado que pretende marcar votação no plenário principal às segundas, terças e quartas-feiras. Tradicionalmente, as votações na Câmara se concentram na terça e na quarta-feira.

    Na avaliação do deputado do DEM, será possível manter esse ritmo em agosto, apesar de coincidir com o período da Olimpíada do Rio.

    Em setembro, afirmou Maia, é possível que as votações voltem a ser realizadas duas vezes por semana, em razão de que muitos parlamentares estarão envolvidos na eleição municipal.

    “Acredito que, no mês de agosto, a gente tenha alguma condição de fazer três vezes por semana. Quando chegar em setembro, em cima da eleição, é mais difícil três vezes na semana”, disse.

    Apesar de o Congresso Nacional normalmente esvaziar no período pré-eleitoral para os parlamentares se dedicarem às campanhas nos seus estados, o Palácio do Planalto precisa do Legislativo em funcionamento para aprovar projetos que considera prioritários para a recuperação econômica do país.

    Jantar

    Rodrigo Maia comentou nesta quarta o jantar da noite desta terça com o presidente da República em exercício, Michel Temer, e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no Palácio do Jaburu.

    Durante quase quatro horas de reunião, eles discutiram, segundo Renan e Maia, as pautas de interesse do Executivo no Congresso.

    “Está na hora de o parlamento, junto com o Executivo e até o Judiciário, colaborar, gerar consenso, gerar uma harmonia, diferente de antes, e ter a possibilidade de dar a sua contribuição”, disse Maia.



    Do G1, em Brasília
    Por: Fernanda Calgaro

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS