Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 21 de julho de 2016

    CARACOL| Prefeito veta aumento de seu próprio salário e de vereadores

    “O momento que estamos passando o aumento salarial não é uma das prioridades, temos que ter respeito com o dinheiro publico”, afirmou o prefeito.
    Prefeito de Caracol Manoel Viais (PR) - Divulgação

    O Prefeito de Caracol Manoel Viais (PR), vetou nesta quarta-feira 20/07, o Projeto de Lei 002/2016 que concede aumento de 30,00% no salário dos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários de Caracol. O projeto de Lei de autoria do presidente da Câmara, Maykon da Silva, votado e aprovado pela Câmara em 05 de julho tem como objetivo principal beneficiar além dos vereadores, o Prefeito, Vice-Prefeito e secretários.

    Os novos salários dos vereadores, secretários municipais, vice-prefeito e prefeito valeriam a partir de janeiro do próximo ano. 

    Em oficio que foi encaminhado ao presidente do Legislativo, Maykon da Silva. O prefeito Manoel Viais (PR) cita a “contrariedade ao interesse público” como uma das razões para a decisão. “A redação final a que se refere o projeto de lei nos chega em um momento desfavorável, uma vez que o município enfrenta forte queda de receita, devido à crise econômica nacional que vem afetando todos os municípios brasileiros”, justifica.

    De acordo com o projeto, os vereadores passariam a receber no próximo ano R$ 4.950. O próximo vice-prefeito ganharia R$ 11.000,00 mil mensais, o prefeito ficaria com um vencimento de R$ 15 mil e os secretários municipais receberiam R$ 6.800,00 mil cada.

    “A concessão de reajuste neste momento é contrária ao interesse público, pois implica em maiores gastos de recursos públicos, em contrariedade à política de contenção de despesas adotada pelo nosso governo municipal”, escreve ainda o prefeito ao justificar o veto. 

    Segundo ele, se sancionasse, colocaria por terra todo o empenho tomado até o momento para manter a saúde das contas públicas.

    O veto do prefeito Manoel Viais, foi bem aceito pela população, contrária ao “reajuste salarial”. De acordo com o Prefeito, o reajuste é imoral, tendo em vista a grave crise financeira que vem assolando os municípios e o país, e principalmente Caracol, uma cidade pequena com receita limitada”.

    Ao receber a proposta ele já propôs o veto integral mesmo porque, a população de Caracol, não aceita a proposta de aumento de salários. Segundo Manoel, este não é o momento mais favorável financeiramente.

    O prefeito disse também que “cada um tem que aceitar o salário proposto e dar o melhor de si em sua função, se acaso não concordar com o que ganha, deve sair e dar o lugar para quem quer trabalhar, seria uma traição com a comunidade eu sancionar esse aumento, seria injusto, antiético e imoral eu sancionar o aumento proposto, pela Câmara de Vereadores.

    Funcionários 

    Manoel Vias, comentou que a teve muita dificuldade em conceder apenas 5% (cinco por cento) de reposição salarial aos servidores públicos municipais, em virtude das quedas dos repasses federais e estaduais. O correto seria apenas a proposta para conceder apenas 5% de reajuste aos secretários municipais. 

    Com tantas prioridades que necessitam de mais atenção como educação, saúde, lazer, estradas entre outras que são essenciais para a população e também a falta dinheiro para que se invista mais, este aumento seria uma traição com a comunidade.

    Na justificativa, ele também cita que não pode fechar os olhos para os fatos. Não me sentiria com a consciência tranquila caso sancionasse o Projeto de Lei do aumento de salario, sabendo que o povo está sofrendo em razão dessa crise de grandes proporções”, acrescenta Manoel.

    O prefeito considera ainda a necessidade de um espírito de união e paz, serenidade e ação em respeito à opinião pública. “Acredito, piamente, que a consciência de Vossas Excelências, desnudada de motivações pessoais ou políticas, saberá ouvir o clamor popular”, finaliza.

    Cargo Salário atual Salário reajustado

    Vereador R$ 3.9000,00 passaria para R$ 4.950,00

    Vice-prefeito R$ 9.500,00 passaria para R$ 11.000,00

    Prefeito R$ 13.000,00 passaria para R$ 15.000,00



    Fonte: ASSECOM
    Por: Ademir Mendonça

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS